quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

TÚLIO MARAVILHOSO - TÚLIO MARAVILHA

Neste primeiro dia de 2014, estive no querido Trombeteiros Country Club e tive a oportunidade de encontrar com Luís Felipe Carvalho, o professor Felipe, e depois de desejarmos, mutuamente, um Ano Abençoado e de muita Saúde e Paz, eu perguntei sobre o jogo de seu Filho, André Felipe (o garoto jogou futsal em Goianá, e havíamos combinado de publicar a matéria no meu modesto blog ). Ele me disse o seguinte: “Ah, ninguém tirou foto. Fica pra outra oportunidade. Aliás, muito legal esse trabalho que você faz com seu blog.  Além de divulgar várias modalidades esportivas, ainda, contribui com a história no registro dos fatos...  Ô Nei, por que você ainda não escreveu a história entre você e seu Filho Túlio? Todo Pai tem uma história com seu Filho; e você não é diferente. Além disso, a sua começou quando você escolheu o nome dele. Por que não conta isso?”

Achei legal esta sugestão. E nada mais justo do que prestar esta homenagem ao meu Filho amado que é uma Benção na minha Vida e da minha esposa Angélica. Garoto de Deus, respeitoso, carinhoso, amigo dos amigos, bom caráter e coração.

...Em 1993 eu trabalhava na agência de São João Nepomuceno do extinto Banco de Crédito Real de Minas Gerais. Neste mesmo ano a direção do Banco optou por fechar 50 agências, e a de São João foi uma delas. Fui transferido para agência de Campo Belo no Sul de Minas.  Quando lá chegamos, eu e a Angélica, descobrimos que estávamos grávidos. Isto mesmo! Eu engravidei junto com a Angélica. Fazíamos caminhadas juntos, fui a todas as consultas de acompanhamento. Todo cuidado era pouco...
A médica que cuidou da gente se chama Patrícia. Ótima profissional. Em sua homenagem a Angélica me disse que se fosse uma menina gostaria que o nome fosse o mesmo da doutora. Esta ideia surgiu no mês de dezembro de 1993. Neste mesmo período o Glorioso Botafogo de Futebol e Regatas (clube que, em 1976, aprendi a gostar por causa do meu saudoso Pai, Gabriel Ribeiro Nascimento de Oliveira) acabara de contratar um atacante de nome Túlio, que pouco mais tarde, também, atenderia pelo nome de “Túlio Maravilha”.

A chegada de nosso Filho estava marcada para o final de março de 1994 (por nossa opção, ficamos sabendo o sexo), então marquei minhas férias para o mês de fevereiro, pois, neste mês, mais precisamente dia 20, aconteceria no campeonato Carioca o “clássico vovô”, Botafogo e Fluminense. É chamado de clássico vovô porque é o confronto mais antigo entre os “grandes” do Rio de Janeiro.
Chegado o dia! Era início de temporada, terceira ou quarta rodada do Carioca. O Túlio já era o artilheiro do Botafogo com 3 gols. Naquele jogo, em especial, o Túlio jogou muito. Lembro-me como se fosse hoje. O “Maravilha” só faltou “fazer chover”, pois, além de marcar os dois gols do Botafogo na vitória de 2x1 sobre o Fluminense, ainda chutou bola na trave e deu muito trabalho a defensiva tricolor.
Acabado o jogo profetizei: Esse cara vai dar muita alegria a torcida do Botafogo. E, do meu lado, um torcedor jogava beijos em direção ao gramado do maracanã dizendo: “ Eu te amo Túlio, eu te amo”. Pensei: se esse cara ama o Túlio, qual o problema em colocar o nome no meu Filho de Túlio.
Na verdade, ainda não sabíamos o sexo, mas, naquele momento, decidi que se fosse um garoto o nome seria Túlio.

Diferente de muitos Pais que fazem homenagem depois do sucesso atingido, como bom Botafoguense, eu pressenti o futuro daquele atleta, pois, era a chegada dele ao clube e início de temporada. Mas, neste mesmo ano, o Túlio foi artilheiro do campeonato Carioca; no ano seguinte(1995) foi artilheiro e campeão brasileiro e em 1996 foi campeão da Taça Cidade do Rio de Janeiro. Três anos de sucesso vestindo a camisa do Botafogo.
Curioso que durante este período, sabendo de minha admiração pelo Botafogo, todas as vezes que o Túlio marcava gols, eu saía na rua com meu Filho e meus amigos associavam os dois. “Aí Túlio fez gol ontem hein! O garoto, ainda, com 1 ou 2 anos, nem sabia o que estava acontecendo.
Interessante que depois que decidimos colocar o nome do artilheiro em nosso Filho, comecei a procurar uma forma de aproximação com o Maravilha, para registrar uma foto dele com nosso Filho. Em 1996, ainda no Botafogo, quando conseguia uma pessoa para intermediar o encontro, faltava grana. Depois, em 1997, ele jogou no Corinthians ao lado do Ayupe. Ótima chance. Mas em São Paulo? Difícil. O Eduardo Ayupe até foi lá e trouxe uma foto, mas era uma foto “solo” e eu queria uma ao lado do meu Filho...

Dezoito anos se passaram desde o nascimento do meu Túlio até um jogo do Esporte Clube Laranjal e o Democratas de Santana de Cataguases pela Copa TV Panorama de Futebol Regional 2012, hoje, Copa TV Integração.
A equipe de Laranjal-MG contratou o Túlio para esta competição. E, com a ajuda do meu amigo Braz Fernandes, o” Braz canguru” e o apoio do Prefeito de Laranjal, Walmir, entrei no campo de jogo, fiz a matéria para o meu blog(entrevistei o Túlio - http://www.youtube.com/watch?v=sCVQZalEQP4 ) e tiramos a tão sonhada foto do meu Túlio”Maravilhoso” ao lado do artilheiro Túlio”Maravilha”. Foto esta que ilustra esta matéria.

Fica aqui o meu agradecimento ao Túlio Maravilha que com respeito, humildade e carinho, tirou foto e ainda autografou a camisa do botafogo que meu Filho vestia. Ele escreveu o seguinte: de Túlio para Túlio. Fiquei emocionado que não fiz este registro.

Agradeço, também, ao professor Felipe que, em boa hora me proporcionou a oportunidade de fazer esta homenagem ao meu Filho que só me dá alegria. “BENZA DEUS!”
Filho que nunca me deu “um pingo” de trabalho, tirando as brigas com seu amigo/irmão José Ricardo dentro da Kombi do Anísio na ida ou na volta do colégio Sesi, até os dias atuais como aluno da Universidade Federal do Juiz de Fora, você, Túlio Medina, é Benção em minha Vida.

Abraço a todos Feliz 2014 e até a próxima se Deus quiser!