domingo, 28 de outubro de 2012

SALVE, SALVE ESPORTE CLUBE ROCHEDO DE MINAS !!!!!!



A Liga de Futebol de São João Nepomuceno, presidida pelo competente Ronílson Barbosa, fecha com “chave de ouro” o ano de 2012.

Operário Futebol Clube e Esporte Clube Rochedo de Minas fizeram as decisões nas categorias sub 13 e sub 15.

Na categoria sub 13 o Rochedo, comandado, brilhantemente, pelo meu amigo Melão, surpreendeu o Operário e logo aos 15 minutos da primeira etapa já vencia pelo placar de 2x0, com gols de José Itaborahy e Márcio de Castro. Mas o alvi verde do bairro São José, também, com uma comissão técnica de respeito (Willian, Zezé Constantino e Getúlio Machado) equilibrou a partida e teve chances de diminuir o placar. Veio a segunda etapa. O alvi rubro da querida Rochedo de Minas tendo em seu meio campo o inspirado José Itaborahy, não demorou para ampliar o placar. Como veremos no vídeo abaixo, após mais uma cobrança de escanteio do craque José, Márcio de Castro marcou seu segundo gol na partida e o terceiro do Rochedo. No apagar das luzes, José cobra falta na direção do gol, que encontra o meia Lucas que fecha o placar. Final, Rochedo campeão da categoria sub 13. Rochedo 4 x 0 Operário.


Na partida de fundo, categoria sub 15, O Rochedo, também, foi superior ao Operário. Logo no início do jogo o atacante Lucas(foto abaixo) abriu o marcador após bobeira da zaga do Operário. O representante de São João até chegava com perigo mas não conseguia converter em gols. A primeira etapa terminou com a vitória parcial do Rochedo por 1x0.

No segundo tempo o Operário voltou melhor, mais determinando, e perdeu boas chances de marcar através do esforçado atacante Cavalheiro. “A vaca começou a ir para o brejo” aos 20 minutos da segunda etapa. No vídeo abaixo, veremos Felipe marcando um belo gol após cobrança de escanteio pela esquerda. O Operário viu sua esperançasAs esperança “indo por água abaixo” quando Lucas aproveitou mais uma indecisão da zaga do Operário e deu números finais a partida. Rochedo campeão 3 Operário zero.


Parabéns ao Melão pelo maravilhoso trabalho desenvolvido em Rochedo de Minas. O mesmo acontecendo no Operário com os incansáveis Willian, Zezé Constantino, Getúlio Machado e Maninho.

Haroldo de Souza, Antonio Moraes e Rui de Almeida

Jose Itaborahy

Lucas artilheiro do Rochedo

Melão técnico do Rochedo

Operário sub 13

Operário sub 15

Abraço a todos e até a próxima se Deus quiser!


domingo, 21 de outubro de 2012

QUERO CONTINUAR ACREDITANDO NA SERIEDADE DO FUTEBOL BRASILEIRO

                                       Foto: Revista Placar                                  

Também concordo que no Brasil existe muita coisa errada. Temos a impressão que muitos setores são manipulados por pessoas  irresponsáveis. Isso acontece na política, na música, no meio artístico...

Infelizmente, em 2005, o futebol brasileiro teve sua participação com a interferência da arbitragem, onde foram promovidas algumas combinações de resultados.

Nos últimos dias, o que mais se viu na internet e em todas as colunas esportivas foi um “suposto” favorecimento ao Fluminense, onde os árbitros estariam errando sempre a favor do Tricolor das Laranjeiras.

É difícil imaginar uma coisa dessas, mas a verdade é que nunca erram contra.

Um dia após a vitória do Fluminense sobre a Ponte Preta, recebi um e-mail do Cláudio, um primo que mora em São Paulo, relatando  sua  indignação( e muitos outros Paulistas ), com tanto favorecimento ao Fluminense.

Hoje, depois do gol anulado do Ronaldo Gaúcho, de falta, fiquei preocupado. Está certo que o zagueiro do Atlético se embolou na barreira tricolor, mas isso acontece toda hora e nenhum árbitro marca nada.

Mas felizmente, para o bem do futebol, no final o Atlético venceu. O que serviu para acalmar os ânimos dos torcedores.

Bom, por enquanto, os ânimos estão acalmados. Vamos esperar a próxima rodada e ver o que acontece.

Que vença o melhor!

Até a próxima se Deus quiser!


segunda-feira, 15 de outubro de 2012

ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA CENTENÁRIO CONQUISTA TÍTULO INÉDITO!



Desfalcado de três de seus principais jogadores, o zagueiro Diego “Papito”, o volante Vinícius e o meia Marcos Vinícius “chiqueirinho”(os dois primeiros contundidos e o último resolvendo detalhes de sua volta ao futsal da Tailândia), o Centenário foi a cidade de Pequeri, enfrentar o Pequeriense no jogo de volta da grande decisão.

Como era de se esperar o Centenário foi envolvido pelo time da casa desde o primeiro minuto de jogo. É claro que os desfalques contribuíram para o baixo rendimento da equipe. Não por culpa dos substitutos, pelo contrário. O zagueiro Vítor, o ala Diego “torrada”, improvisado de volante, e o meia Odair, deram conta do recado e fizeram boa partida.
Até que na primeira etapa o Centenário ainda mostrou força nos contra ataques. Mas na segunda etapa só deu Pequeriense. Sua superioridade ficou clara ao final do jogo. Pequeriense 3x0.

Com a vitória do Centenário no jogo de ida a decisão foi para as penalidades máximas. No vídeo abaixo você assistirá aos três gols da partida, no tempo normal, e, também, as cobranças de pênaltis. Os gols do Pequeri foram marcados por Matheus, Fabiano Rufino e Bodega, respectivamente.
Nos pênaltis, o Centenário venceu por  6x5. Pelo Centenário, na ordem: Michel Lima (perdeu), Jr.Gielo(converteu), Diego”torrada”(perdeu), Juninho PC, Vagner, Vinícius, goleiro Fábio e Diego”farinha” converteram.
No Pequeriense Diogo, Marquinho e Thiago converteram. Ne e Rufino perderam. Na sequencia Didi e Reidener converteram e Bruno perdeu.

Centenário campeão da XI Copa Heleno de Freitas de Futebol. Competição organizada pela Liga de Futebol de São João Nepomuceno, tendo como presidente Ronilson Barbosa.


No vídeo 2, as entrevistas emocionantes do goleiraço Fábio e do treinador Deacir. Além das imagens das premiações.


Com boa arbitragem de Robert da Silva Machado, auxiliado por Rui de Almeida e Marco Aurélio Lage, o Centenário foi campeão com Fábio no gol, Farinha, Gielo, Vítor e Danrley(Sandro); Torrada, Emiliano, Odair(Vinícius – mesmo contundido entrou na partida) e Robson(Juninho PC); Vagner e Michel Lima. Técnico: Deacir.

Pequeriense com Negreti; Diogo, Ne, Didi e Thiago; Bruno, Marquinho, Bodega(Reidner) e Rodrigo; Matheus e Rufino. Técnico: Paulo Henrique.

Parabéns ao presidente da Liga Ronilson Barbosa e seus colaboradores; aos clubes, aos atletas e árbitros que participaram desta competição. Além do público que prestigiou esta XI Copa Heleno de Freitas de Futebol Regional.
Vagner
Deacir Técnico Campeão 

Pequeri na pressão

Pequeriense

Robert adverte ne com cartão amarelo

Rui de almeida, Robert da Silva Machado e Marco Aurélio Lage

Torcida do Centenário
Fotos: Eduardo Ayupe

Até a próxima se Deus quiser!

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

WALDECK DE SOUZA - LOURO



O Blog do Nei Medina tem a honra de entrevistar um dos melhores jogadores de futebol de nossa região. Vocês vão curtir uma maravilhsa história. Com vocês: Waldeck de Souza, o nosso querido Louro.



1)   Nome completo e apelido ( quando houver e por que ).
Waldeck de Souza (LOURO).
O apelido começou nos tempos de menino, quando algum vizinho precisava de uma criança para fazer mandado lá no centro da cidade, a minha mãe perguntava se era o Waldeck ou Valdécio (meu irmão), aí eles falavam que era o “louro”, porque eu era mais claro que meu irmão.

2)   Casado e quantos filhos?
Casado com Maria Amélia Rocha de Souza e um casal de filhos: Thalita e Felipe.

3)   Onde nasceu e quando?
Nasci em São João Nepomuceno, no dia 3 de março de 1947.

4)   Nome dos pais.
Waldemiro de Souza e Sebastiana Abreu de Souza e tenho três irmãos: Valdeci, Valdécio e Valdézio.

5)   Em que time começou a jogar e com que idade.
Quando menino pertencia a uma associação da Igreja Católica denominada Congregação Mariana e os meninos eram chamados de marianinhos. Na época, o sr. Rubens Paixão que comandava as crianças, resolveu fazer um campeonato de futebol entre os marianinhos, porque nós éramos uns 100 meninos. Depois deste torneio o sr. Rubens fez um time para jogos com as equipes da região, o que acabou virando um “timaço” porque dificilmente perdíamos e os meninos que gostavam de jogar bola entravam para os marianinhos. Tudo isso começou quando eu tinha 9 anos.

6)   Em que posição jogava?
Jogava no ataque de meia direita, com a camisa número 8.

7)   Qual o melhor técnico.
Foram muitos os bons técnicos, mas eu ainda fico com o sr. Rubens Paixão.

8)   Qual o melhor dirigente.
Rubens Paixão.

9)   Quantos gols marcou.
Não foram muitos gols marcados porque eu não tinha o chute forte, daí não arriscava para chutar em gol, preferia dar assistência.

10)Qual o melhor jogador de sua época? Pode ser mais de um.
Na minha época de marianinho foi o MINGUE estilo de jogo parecido com GERSON da seleção de 70. Na fase adulta foi sem dúvida alguma o ZÉ TUMBUTA, um craque de bola e uma pessoa maravilhosa!

11)Qual ou quais clubes jogou?
Joguei bola por muitos anos pro MANGUEIRA F. C., Mas também já joguei no BOTAFOGO (na época do Braizinho infantil), no OPERÁRIO, no ROÇA GRANDE, ASA BRANCA, TUPÃ (MIRACEMA F. C.), ATLÉTICO F. C. da cidade de Palma MG.

12)Quantos campeonatos disputou?
Disputei um campeonato em Miracema, três em Palma e uns sete em São João.

13) Quantos títulos conquistou?
Um em Miracema, um em Palma, um em Roça Grande, um torneio início pelo Mangueira e também um vice-campeonato regional. Perdemos uma final para o Minas de Goianá com a arbitragem desastrosa. Quem assistiu ao jogo sabe o que estou falando. Ah! Tem também um pelo Asa Branca segunda divisão.

14)Qual o melhor árbitro?
Na minha época, o árbitro que era escalado para apitar os clássicos da cidade tinha o apelido de “CAIXA ECONÔMICA” devia ser o melhor.

15)Havia treinamentos durante a semana?
O treino era nas quartas e sextas-feiras depois das 17hs, porque quase todos trabalhavam.

16)Participou de alguma partida que tenha ocorrido algum fato curioso ou presenciou?
Fato raríssimo que eu me lembro foi em Bicas, estávamos jogando com o segundo time do S. C. Biquense que era o “bicho papão” de títulos e estávamos ganhando no 1° tempo de 2 a 1. No intervalo no vestiário estávamos programando chegar em São João fazendo aquela bagunça por ter ganho do Sporte.
Escute essa Nei, resultado final do jogo: perdemos de 12 a 2.

17)Quando parou de jogar?
Não me lembro o ano, mas eu sei que foi no ano em que Roça Grande foi campeão naquela final com Descoberto(1973) no campo do Botafogo. Faltando uns três jogos para o término do campeonato o OSIMAR (treinador do Roça Grande) queria me colocar na ponta esquerda porque eu já não tinha mais condições físicas de atuar ali no meio, foi até que eu senti que estava na hora de parar. Gostava e gosto muito de futebol Nei, mas na época eu gostava de beber e fumar, isto destrói qualquer atleta!!!

18)Comparar o futebol de hoje com o período em que jogou.
O futebol de hoje é muito mais exigente. Você tem que estar fisicamente muito bem. Se você joga no gol, zagueiro de área ou homem de referência no ataque, tem que ter quase 2m de altura porque se não eles não deixam você nem fazer teste. No passado era mais fácil, se você tivesse um bom domínio de bola, já era bem visto pelos treinadores.

19) Falar da rivalidade entre os clubes de São João.
Mangueira, Botafogo e Operário, estes três quando se enfrentavam mexia com toda a cidade, principalmente quando jogavam Mangueira e Botafogo. A rivalidade era tanta que mexia até com os costumes dos cidadãos sãojoanenses. Quem era do Botafogo freqüentava o Bar Central e quem era do Mangueira (rival), freqüentava o antigo Bar Dia e Noite que ficava ao lado da Papelaria e Tipografia Rocha & CIA.

20)Falar da relação com os torcedores.
As torcidas ficavam inflamadas só nos dias dos jogos, fora isso, que eu me lembro se comportavam. Vou contar uma história minha pra você dentro do que era a rivalidade.
Teve um jogo, Mangueira e Botafogo, o Dr. Moacyr (dentista) agachado na beira do campo, mandou que o lateral do Botafogo chegasse mais firme, no que eu acabei discutindo com ele ali na hora do jogo. Passado algum tempo, precisei do seu serviço dentário aí fui no consultório do Dr. Moacyr. No fim do tratamento fui acertar o valor, com medo de ficar muito caro. E para minha surpresa ele disse que para mim seria gratuito. Que Deus o tenha em um bom lugar.

21)Qual o melhor adversário que enfrentou fora de São João?
Era no campeonato de Palma o time dos Ferroviários que era formado por jogadores de diversas cidades como Divinópolis, Tombos, Muriaé, Recreio, etc... outras cidades do ramal da ferrovia de Leopoldina e daquela região. Pra você ter idéia eles tinham três ou quatro times para por em campo e nem dava pra saber qual era o melhor!

22)Qual era o adversário mais difícil de jogar?
Era sem dúvida o Botafogo, porque além da rivalidade na minha época, individualmente o Botafogo sempre tinha um elenco de primeira linha como: TUMBUTA, WELINGTON ITABORAHY, PIORRA e LALUCE. Estes são alguns deles.

23) Qual a partida que você saiu de campo com esse sentimento: “Ah! Hoje eu “acabei” com o jogo!
Foi no jogo Mangueira e Botafogo em que ganhamos de 1 a 0. Nei, foi uma partida em que o time todo jogou muito bem e com o Quirino fazendo a diferença. Pra mim foi inesquecível, porque eu quem fiz o gol. Outra coisa, nós jogávamos pelo amor a camisa, até a minha chuteira quem comprava era eu. Mas neste jogo a alegria da torcida foi tão grande que acabei ganhando muito dinheiro e depois o Mangueira também deu para os jogadores uma gratificação.

24) Qual jogador do time adversário te tirava o sono antes de enfrentá-lo? Pode ser um atleta de alto nível ou jogador desleal.
Jogar contra o ZÉ TUMBUTA era de tirar o sono. Agora em questão de deslealdade o BENÍCIO BOI em São João. Já em Miracema era um jogador da D.E.R. F.C., seu apelido era PÁRA-RAIO, o que já diz tudo!
                     No Mangueira com pouco mais de 10 anos


                                      Rio de Janeiro 1964
                        Rubens Paixão, Gilberto, Maurício e Aldir.
                        Gilson, Sérgio, Louro e Paulinho.


 Valdézio, Valdécio, Waldeck e Valdeci. Thalita,filha do Louro, ao fundo.

                                      Master do Mangueira
 Milton, José Américo, Dequinha, Elízio, +Gute, João Neves, Betão Vamp e Itinha.
+Waldir Gomes, +Ronaldo Agripino, Fernandinho, Casinho, Dico, Emílio e LOURO.

                                        Mangueira 1974
Juarez(t´cnico) +Chimbria, Dola, Anginho, Telê, Tirica, +Goi, Carlinho"rebarba", +Madéia, Bimba e Idelfonso.
Tista, Duda, José Carlos "orelhinha", LOURO, Paulinho Pimentel, +Mauri"bililiu", Nazareth e Luiz Santiago"baixinho".

DE CORAÇÃO, obrigado ao meu amigão Louro pelo carinho com que respondeu todas estas preguntas. Muito grato a minha amiga Thalita(filha do Louro) que me ajudou nesta "empreitada.

Este é o objetivo do Blog do Nei Medina; trabalhar no resgate da memória esportiva. Agora, muitos jovens saberão desta bela trajetória esportiva.

Abraço a todos e atá a próxima se Deus quiser!